• Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • LinkedIn

Posts populares

  • Fakini recebe grupo do SCMC

    Leia mais
  • Fakini projeta crescimento de 8% em 2018 e se mantém positiva para o próximo ano

    Leia mais
  • Os básicos da Fakini: estilo para quem gosta de peças mais discretas

    Leia mais
  • Como aumentar as vendas em uma loja de roupas infantil?

    Leia mais
  • Dica de estilo: mães e filhas combinando looks

    Leia mais
  • Fakini desenvolve caixas de papelão que viram brinquedos

    Leia mais
  • Fakini participa do evento O Negócio da Moda

    Leia mais
  • Cores Primavera/Verão: delicadas, vibrantes e para todos os gostos

    Leia mais
  • Fakini faz circuito de treinamentos de vendas da Coleção Alto Verão

    Leia mais
  • Moda infantil: qual é o estilo do seu pequeno?

    Leia mais
  • Fashionista teen: o estilo de Millie Bobby Brown

    Leia mais
  • Coleção Primavera Verão Fakini: estilo para os dias mais quentes

    Leia mais
  • Novas licenças Fakini: Barbie Dreamtopia e Hot Wheels

    Leia mais
  • Fakini tem novas empilhadeiras e estrutura de armazenamento

    Leia mais
  • Fakini adere ao projeto “Pra Cego Ver”

    Leia mais
  • Star Wars na Fakini: empresa tem licença para produção das roupas da saga

    Leia mais
  • A moda de Paris: luxo e pluralidade

    Leia mais
  • O estilo de Audrey Hepburn: muito além da Bonequinha de Luxo

    Leia mais
  • Responsabilidade socioambiental: PGRS na Fakini

    Leia mais
  • Elementos lúdicos na moda infantil

    Leia mais
  • Produção têxtil na Fakini: como a malha é feita?

    Leia mais
  • Fakini doa camisetas da sua coleção da Copa do Mundo para escolas de Pomerode

    Leia mais
  • A moda de New York, cidade que inspira tendências

    Leia mais
  • Unidade de produção EFE Taió completa 4 anos

    Leia mais
  • Tendências Inverno 2018: das boinas ao vinil

    Leia mais
  • Tendências da moda internacional: o que está em alta pela Europa

    Leia mais
  • Fakini Kids Inverno 2018: todo o encanto da neve

    Leia mais
  • História da costura: dos alfaiates à produção em massa

    Leia mais

Promoções e novidades sobre pontos e milhas. Receba gratuitamente:

Instagram

07/08/2018

Fakini adere ao projeto “Pra Cego Ver”

Você já ouviu falar do projeto Pra Cego Ver? A proposta visa disseminar a cultura da acessibilidade nas redes sociais, com foco em pessoas com deficiência visual. Por meio da hashtag #PraCegoVer, o deficiente visual consegue saber o que está inserido em determinada imagem.

Desde junho, a Fakini adota a hashtag nas postagens das redes sociais da empresa. O objetivo é tornar o conteúdo acessível a todos que tenham alguma limitação visual. Muito bacana, não? 😊

Como surgiu o projeto Pra Cego Ver? 

No Brasil, existem cerca de 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual, sendo 585 mil totalmente cegas. Para muitos, pode ser difícil imaginar que essas pessoas mantêm uma vida cercada de normalidade e que usam, inclusive, as redes sociais.

O #PraCegoVer foi criado pela professora especialista em educação especial na perspectiva da educação inclusiva, Patrícia Braille. Ela já utilizava a ferramenta de audiodescrição em suas obras – a docente também escreve livros – e resolveu expandir o projeto virtualmente. 

Hoje, cada vez mais empresas estão adquirindo consciência da necessidade da inclusão no meio digital, e estão adicionando o #PraCegoVer em suas publicações. É o caso da Coca-Cola, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e, recentemente, da Fakini.

Como funciona a hashtag? 

Atualmente, milhares de pessoas cegas usam o Facebook com o auxílio de leitores de audiodescrição, que transformam em voz o conteúdo dos sites. Esses leitores também podem dizer o que está em cada imagem, mas, para isso, é preciso que elas estejam descritas. 

A hashtag #PraCegoVer possibilita que as descrições sejam reproduzidas nesses aplicativos de audiodescrição, fazendo com que pessoas com deficiências visuais possam entender do que se trata determinada imagem. 

Para utilizar a hashtag na hora de publicar um novo conteúdo, basta que, depois de colocar a legenda normalmente, o usuário insira o #PraCegoVer e, na sequência, descreva a imagem que vai na postagem. Ele descreve, por exemplo, se é uma foto ou um desenho, se a imagem tem algum efeito de cor, como são as pessoas ou produtos que aparecem, etc. 

Dessa forma, por meio de uma iniciativa fácil de ser utilizada, as redes sociais tornam-se muito mais inclusivas! Nós, da Fakini, ficamos muito felizes em contribuir, nem que seja de uma forma pequena, com a inclusão. E torcemos para que muitos projetos como esse ainda venham por aí. 

Se você quiser saber mais detalhes sobre o projeto, é só acessar a página oficial do #PraCegoVer no Facebook.